Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Deixem o Indie em Paz

Leia mulheres

Em mais de quarenta livros, este ano, li apenas quatro livros escritos por mulheres. Mataram a Cotovia, de Harper Lee, Sejamos Todos Feministas, de Chimamanda Ngozi Adichie, Vim Porque Me Pagavam, de Golgona Anghel, e Ana de Amsterdam, de Ana Cássia Rebelo. Dos livros que decidi ler até ao final do ano, um terço são escritos por mulheres, Adoecer, de Hélia Correia, A Amiga Genial, de Elena Ferrante (considerando que se trata de uma mulher), e O Chão dos Pardais, de Dulce Maria Cardoso.

Não gosto de me sentir obrigada a nada, mas, depois do manifesto "Leia Mulheres" que vi (e ainda vejo) pelas redes sociais, apercebi-me que a maioria dos autores que leio são homens. É uma constatação, de certo modo, óbvia, já que o número de escritores é muito superior ao de escritoras, pelo que a probabilidade de ler homens é muito maior, se olharmos para toda a oferta de livros que temos à nossa disposição. Até gostava de fazer uma contagem dos livros que tenho lá em casa e ver quantos são escritos por mulheres.

Não se trata de preconceito no acto de compra/leitura de livros, aliás, não dei menos de quatro estrelas aos quatro livros escritos por mulheres que li este ano e prevejo que vá gostar muito destes três que ainda pretendo ler. Nunca senti que estivesse a desprezar as mulheres escritoras, mas, a partir de agora, vou tentar ler mais mulheres. Não vou é adoptar um sistema de quotas mínimas de mulheres por ano, ou um livro por mês, etc. Não quero definir obrigações, apenas gostava de lhes dar uma maior atenção.

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.