Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Deixem o Indie em Paz

Em falta na estante #4

naopossonemquero.jpg

 

Ando há uns tempos com o Contos Completos, de Lydia Davis, na lista para (comprar e) ler, mas ainda não me deparei com nenhuma promoção interessante da Relógio d’Água, pode ser que seja nesta Feira do Livro (estão a ouvir-me?).

Entretanto, Não Posso Nem Quero, o seu mais recente volume de contos, original de 2014, foi editado também pela Relógio d’Água. Este magnífico título fez com que Não Posso Nem Quero (tão eu, ai) passasse à frente do Contos Completos, tornando-se num dos livros que mais quero ter e ler neste momento, especialmente depois de ter lido este artigo de Isabel Lucas.

 

Os grandes encantos e desconcertos de ler as histórias de Lydia Davis resultam da sua enorme capacidade de dramatizar os mais pequenos episódios do quotidiano, aumentando-lhes a dimensão ao ponto de os isolar do todo, o que os torna hilariantes, ridículos, obsessivos, insignificantes ou tremendamente emotivos.

(…)

Dividido em três partes, o livro é coerente com o universo criativo de Lydia Davis. O dia-a-dia, as referências literárias, a invenção, o uso de aforismos, o olho cirúrgico, a atenção às obsessões, a procura de um sentido através da gargalhada ou do seu contrário, da picada que solta a raiva ou a lágrima. Nada aqui é sereno. Uma palavra ou a pontuação podem fazer desabar e é a queda rápida como de um precipício. 

 

Não Posso nem Quero

Lydia Davis

2015

Relógio D'Água