Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Deixem o Indie em Paz

À venda nas livrarias, mas a Fnac não conta como livraria

crocodilo que voa.jpg

 

A editora Tinta-da-China anunciou, dia 6 de Fevereiro, sexta-feira, que O crocodilo que voa estaria naquele próprio dia à venda nas livrarias. No sábado, dia 7, pude vê-lo no El Corte Inglês, mas como a pessoa a quem queria dar o livro estava comigo, deixei-me estar quieta. Na segunda-feira seguinte, dia 9, já sozinha, dirigi-me à Fnac em busca do livro, deambulando pelas estantes, em buscas infrutíferas, durante largos minutos, recusando-me a aceitar que o livro poderia não ter chegado lá. Não pode ser, se até o ECI tem, só podem estar a brincar comigo. Mas, tendo fé na minha fraca capacidade de ver coisas que estão mesmo à minha frente, lá fui perguntar pelo dito. Ah, isso só na próxima sexta-feira (dia 13) ou lá para a outra (dia 20). Está certo, sim senhor, adeus e obrigada.

Quando saí da Fnac, praticamente certa que a Bulhosa (que existe no mesmo centro comercial e na qual raramente gasto um tostão) já o tinha recebido, decidi que não ia esperar uma ou duas semanas para o comprar (até porque precisava de o dar entretanto), perdi, até, o amor ao vale de 10€ que tinha para descontar, e lá fui encontrá-lo à minha espera na Bulhosa (havia pelo menos quatro exemplares).

Até poderia compreender que isto acontecesse numa Fnac longínqua ou numa livraria podre, mas ali não, com um livro da Tinta-da-China, também não compreendo (estarão de relações cortadas?), pior, Talvez, daqui a duas semanas, a sério, aquilo matou-me.