Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Deixem o Indie em Paz

guarda tudo, deita fora

Aquele momento em que lhe envias um texto e esperas que diga que é a coisa mais espectacular do mundo. Mas ele só gosta. :D

 

Excerto

 

Há dias em que é difícil não sentir que devia matar quem me incomoda. (...) Tenho a sensação que, mentalmente, reduzo a verme quem me incomoda, enquanto tento que a pessoa não se aperceba da minha fúria mental, sentimental, física, química, quântica. Fico incomodada à escala atómica. Cada átomo que compõe o meu ser, outrora poeira de alguma estrela distante, ou não fosse eu superior, detesta quem me perturba a concentração com gestos vãos, perfeitamente evitáveis, abomináveis, com uma força inversamente proporcional ao seu tamanho. As ondas de choque do meu ódio devem chegar aos limites do universo, voltar, partir novamente, voltar, e assim sucessivamente. No caminho vão-se acumulando a novas ondas de choque geradas por outros gestos que me enervam. Um ciclo vicioso que só termina quando findam estes dias, particularmente difíceis de viver. Só esta teoria pode explicar a minha crescente ira.
Ódio, ódio, ódio.
Desprezo. Desprezo-te. Desprezo-me.